quinta-feira, 17 de maio de 2012

‘Cause I can’t feel this anymore

♫ I’m out on my own again
Face down in the porcelain
Feeling so high but looking so low
Party favors on the floor
Group of girls banging on the door
So many new fair-weather friends ooo…
Have you ever been so lost
Known the way and still so lost♫

Lost - Katy Perry

Dentre tantas coisas que eu aprendi, uma delas foi que o mundo todo muda, quando você muda. Não no sentido literal, mas de acordo com a sua visão. A forma como você se sente, influencia todo o resto. Quando você está bem, parece que as pessoas querem sua força, querem estar perto de você. Quando você está bem, as pessoas te procuram, te ligam, te chamam pra sair. Quando você está mal, a sensação é a de que ninguém se importa. Ou até se importam, mas ninguém tem forças o suficiente pra te reerguer. As pessoas até percebem, mas ninguém faz nada além de dizer que "Vai passar." É óbvio que vai passar, você também sabe que uma hora vai passar. Você é racional o suficiente para saber que nenhuma dor dura para sempre, que nenhuma fase ruim se estende pela vida inteira, a não ser, claro, se você permitir isso. Mas eu não pretendo permitir. Mas o que fazer quando você chega ao chão, quando a sua visão se ofusca, quando a dor se torna insuportável? O que fazer, quando você vê apenas uma escuridão nos dias que estão por vir? O que fazer quando as pessoas que estão ao seu redor estão preocupadas demais com o próprio umbigo e aqueles que seriam diferentes, estão afastados de você? O que fazer quando você cresce e percebe que a vida não é justa? Que a sociedade é (desculpe a palavra) mas que a sociedade é uma merda? O que fazer quando você não quer ficar, mas também não está pronta para partir? O que fazer quando você pensa que poderia ter sido diferente, quando você pensa que você caiu porque você insistiu demais no que, você poderia ter desistido, e ter desistido nem sempre é sinal de fracasso, as vezes é sinal de que você viu que uma coisa não te serve, e vai tentar traçar outra. E agora, como recuperar tudo que se perdeu? Como se autorecuperar? Como voltar a agir como agia, quando não se tinha nada que sangrasse a maior parte do tempo? Como falar tudo que está preso, sendo que, só há forças para responder o básico? O que fazer quando se chega ao ponto de dizer que está tudo bem pra qualquer pessoa, mesmo quando não está, mas... você não quer explicar. Você não consegue explicar. Você se sente horrível. Você não se sente vivo no seu próprio corpo. Você faz as coisas no automático, nem pensa mais. Você parou de sentir também. Aquele brilho todo que haviam nos seus sentimentos, nas suas relações, no seu jeito com as pessoas, se perdeu. Você cresceu e agora você é mais um. E dentro de você, há um buraco oco, que parece que não pode ser preenchido com nada. Como lidar com essa droga desse buraco, como? Como lidar com as lembranças do que já foi doce um dia, e aceitar que hoje em dia não é mais? Nada é mais. NADA!
Uma vez, eu queria conquistar o mundo, as pessoas, ajeitar tudo que eu via de errado. Hoje em dia, eu só quero ME ajeitar.

Um comentário:

  1. Passando pr'um boa noite, apenas.

    Boa noite. :}



    http://amar-go.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir