segunda-feira, 29 de junho de 2009

the best book;

      - Foi a coisa mais terrível que aconteceu em minha vida, Emma, a mais destrutiva, a mais angustiante. Repelia as pessoas que devia abraçar. nos primeiros anos depois da morte de Darren, eu... mal sabia o que era, onde estava. Entrava e saía da terapia, pensava em suicídio, desejando ter coragem para acabar com tudo. Havia alguma coisa diferente em Darren, Emma, alguma coisa, especial, quase mágica. Às vezes não podia nem acreditar que ele saíra de mim. E quando ele morreu, de repente, de uma maneira tão cruel, tão desnecessária, foi como se alguém tivesse arrancado meu coração. Não houve nada que eu pudesse fazer. Perdi meu filho. E, na minha dor, afastei-me de minha filha. E a perdi também.
    - Eu o amava muito.
      - Sei disso. - Bev sorriu, gentilmente. - Sei disso.
    - Também amava você. Senti muita saudade.
      - Nunca pensei que tornaria a vê-la, Emma. Ou que você poderia me perdoar.
    Isso a deixou espantada. Perdoar? Emma pensara durante anos que ela é que nunca seria perdoada. Agora, com umas poucas palavras o desespero que ela sentira durante o dia inteiro começou a se desvanecer, permitindo-lhe sorrir.
      - Quando eu era pequena, achava que você era a mulher mais linda do mundo. - Emma inclinou-se para a frente, encostou o rosto no de Bev. - Ainda acho. Importa-se se eu tornar a chamá-la de mamãe?
    Emma sentiu um trêmulo suspiro quando Bev abraçou-a e apertou-a com força.

2 comentários:

  1. Tem mesmo amor, tu não vai se arrepender, é o mais perfeito! *.*

    ResponderExcluir